quinta-feira, 20 de novembro de 2008

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Manuela Ferreira Leite, a raínha das ironias

Sobre as reformas:

Da sua visita ao neto durante a greve dos camionistas:

Acerca do casamento entre pessoas do mesmo sexo:

Interrogada se não considera que as obras públicas ajudarão ao factor desemprego:

Retirado de Bicho Carpinteiro.
É pena é que Manuela Ferreira Leite seja tão inteligente e intelectualmente dotada. Assim ficamos sempre sem perceber as suas ironias e até mesmo sem perceber que foram ironias. 

"Fenprof abandona reunião com a ministra da Educação"

Reservo-me ao direito de, perante as evidências, pensar que os sindicatos:
  • São contra a avaliação de professores e não contra este modelo específico;
  • Não estão interessados em negociar. Ponto final (mas depois a ministra é que é casmurra e autoritária);
  • Estão mais interessados em demitir a ministra e manter com ela um braço de ferro do que solucionar os problemas da educação;
  • Estão a agir por conta própria e não estão interessados em defender os interesses dos professores.

O modelo de avaliação não deve nem pode ser suspenso! Pode é ser alterado e era precisamente para isso que sindicatos e governo estavam sentados à mesa. Conclui-se assim que a ideia dos sindicatos é parar tudo, fazer voltar tudo atrás e aguardar que a democracia vá 6 meses de férias para agirem por conta própria.

Aproveitando o post, falo um pouco do estatuto do aluno. É vergonhoso fazerem-se manifestações, desconfio que nem autorizadas, sem se conhecerem os factos e contra aquilo que se manifesta. Vergonhoso é também o facto dos professores se  aproveitarem dos seus alunos para dar cacetada na ministra e exigirem a sua demissão e vergonha é o que não têm os pais desses alunos que andam por aí a bradar baboseiras aos céus de ovo e tomate na mão.

"O pior dos cenários é óptimo para emergentes, seja qual for o ramo a que se dediquem, desde a ambição por uma liderança partidária ou pelo trono num sindicato ou no que quer que seja que dê visibilidade".

José Leite Pereira, "Jornal de Notícias", 19-11-2008


terça-feira, 18 de novembro de 2008

Consumismo Pimba

Acho um mimo a publicidade a anunciar o dueto da Popota com o Tony Carreira. É adorável servir-se de uma amorosa hipopótama para incutir música pimbo-romântica desde tenra idade. Daqui a pouco veremos a Leopoldina com o Toy e o elefante de trevo na tromba do jumbo com o Emanuel. Depois ainda se vêm queixar da música do Magalhães.

Estás a querer ir de férias para onde?

Nuno Gomes, jogador do Benfica, clube que este fim-de-semana jogou contra o Estrela da Amadora, vem dizer que os jogadores deveriam interromper o campeonato por solidariedade aos jogadores do Estrela que não recebem há 3 meses. É bonito. Primeiro joga-se, depois diz-se para interromper.

Também gostei de ver o Nuno Gomes a pedir solidariedade no caso do Boavista, seu antigo clube.

Podia repetir?

Manuela Ferreira Leite pergunta, em jeito de recomendação, se não seria bom haver seis meses sem democracia para se meter tudo na ordem.

Com declarações como estas daqui a pouco ouviremos Alberto João Jardim a anunciar 6 meses de democracia na Madeira!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Sobre o moralismo imoral ou o atraso mental ou o conservadorismo doentio ou o respeitinho é muito bonito

Resta o facto de, como os cadáveres não são assim muitos, as missas também não serem assim tantas.

"Vale e Azevedo (ainda) não burlou o Noddy"

A notícia é hoje manchete de vários jornais. O Quezílias Libertinas foi confirmar junto do Noddy esta informação surpreendente vinda ontem a público.


Quezílias Libertinas (QL): Boa dia Noddy. Antes de mais é um prazer enorme estar aqui consigo e queria agradecer-lhe a sua disponibilidade para nos dar esta entrevista porque, segundo sei, está a atravessar um período difícil da sua vida?
Noddy (N): O prazer é todo meu, até me faz bem desabafar. Sim, de facto, neste momento estou a atravessar algumas dificuldades.

QL: E tudo isto porque Vale e Azevedo ainda não o burlou?
N: Sim, é um facto. Até agora não me constou que tivesse sido burlado!

QL: Como se sente?

N:Olhe, sinto-me completamente excluído do resto da sociedade. É uma situação que vem avivar traumas do passado e que me está a deixar muito deprimido.

QL: Que traumas são esses?
N: Bem como toda a gente sabe, tive uma infância difícil na Casa Pia. Nunca fui muito sociável, nunca me consegui integrar muito bem. Só andavam atrás de mim por causa do meu guizo. Era "Noddy faz ver o guizo", "Noddy deixa-me tocar-te no guizo", "vou-te lamber o guizo", "põe o guizo aqui", "mexe no guizo ali", o dia todo, de modos que o meu guizo esteve um pouco dentro de tudo e mais alguma coisa, o que fez com que tivesse uma infância traumatizante.

QL: Mas conseguiu dar a volta?
N: Sim, felizmente, consegui ultrapassar a situação e, farto de me estarem sempre a pedir para ver e tocar no guizo, decidi pô-lo na ponta do barrete. Fui um passo de afirmação pessoal muito importante, ganhei muita confiança com esse gesto mas, agora, infelizmente, perdi essa confiança.

QL: O que espera de Vale e Azevedo?
N: Bem, penso que o mínimo que me podia fazer era burlar-me ou pedir-me desculpa pelo atraso na burla porque, realmente, eu quero seguir com a minha vida para a frente e assim não dá.

QL: Obrigado Noddy. Fica o apelo, Dr. Vale e Azevedo, se está a ler esta entrevista peço-lhe que tenha compaixão e que aja rapidamente. Como deve compreender esta é uma situação difícil e como figura pública só lhe ficava bem ajudar.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Um novo amanhã


Cresci com Bush na Casa Branca. Antes dele não tinha idade para perceber o que era a América, o que representavam as suas políticas e os seus presidentes. Desenvolvi com Bush um sentimento anti-americano comum a muitos. Hoje, sinto-me americano. Gostava de ter podido votar em Barack Obama. Obama pode já vir tarde para alguns, virá certamente. Mas a partir de hoje acredito numa nova América. Não estamos livres de uma grande desilusão, o mais que não seja porque as expectativas em Obama são enormíssimas. Há uma data de coisas a mudar em política externa americana. Não concordo com algumas defendidas por Obama, muito menos concordei com as de McCain. Mas acredito que a América, a partir de hoje e, principalmente, a partir de 20 de Janeiro será um lugar melhor. O mundo, por conseguinte, sê-lo-á também.

Parabéns a Obama e que ele seja mesmo a mudança que todos precisamos. Obrigado Obama, obrigado América.


GOD BLESS AMERICA!



BARACK OBAMA É O NOVO PRESIDENTE DOS EUA

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Força Obama!

A poucas horas de se conhecer o próximo presidente dos EUA deixo aqui o anúncio de 30 minutos de Barack Obama. Este será o último post antes de se conhecerem os resultados.
Confiante de que os americanos conseguirão ser minimamente inteligentes espero vir aqui amanhã ou quinta deixar uma mensagem de esperança e de felicidade, sinal de que Barack Obama ganhou. Para o bem ou para o mal, o Mundo será a partir de amanhã diferente.

It's always a pleasure to hear you, Sarah!

Palin apanhada por um falso Sarkozy